InternetData CenterAssinante

Em jogo dramático, Brasil garante vaga nas quartas de final nos pênaltis

Julio Cesar pegou duas cobranças e garantiu a vitória brasileira sobre o Chile
Em jogo dramático, Brasil garante vaga nas quartas de final nos pênaltis
Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Por Marcelo de Bona Em 28/06/2014 às 16:03

De forma dramática, o Brasil garantiu a sua vaga nas quartas de final da Copa do Mundo. Após permanecer no empate, em 1 a 1, com Chile durante o tempo normal e 0 a 0 na prorrogação, na decisão por pênaltis, Julio Cesar garantiu a vitória da Seleção Brasileira na tarde deste sábado, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

O jogo começou tenso e com uma forte marcação das duas equipes. A primeira finalização da partida aconteceu aos cinco minutos, após cobrança de escanteio, a bola sobrou na entrada da área para Marcelo, que chutou ao lado da meta defendida por Bravo. Aos 13, o Brasil voltou ao ataque e a torcida verde amarela pediu pênalti quando, em um lance polêmico, Hulk tabelou com Neymar e foi tocado levemente por Silva, dentro da área, mas o árbitro nada marcou.   

Cinco minutos mais tarde, após cobrança de escanteio, Thiago Silva cabeceou e Jara tentou impedir o gol de David Luiz, porém tocou a bola para o fundo da rede e fez 1 a 0 para o Brasil. Em desvantagem no placar, o time chileno foi em busca do seu gol e contou com a ajuda brasileira para conseguir a igualdade no placar. Em cobrança de lateral de Marcelo, no campo defensivo brasileiro, próxima à bandeira de escanteio, Hulk bobeou na devolução, Vargas tomou a bola e tocou para Sánchez, sozinho, chutar e fazer o gol chileno, aos 31 minutos.

No começo da segunda etapa o Brasil teve mais um lance polêmico envolvendo o atacante Hulk. Aos nove minutos, o atacante recebeu a bola na área, dominou e mandou de canela para o fundo do gol. Entretanto, o árbitro invalidou a jogada alegando que o jogador utilizou o braço e aplicou cartão amarelo no atleta.  

Melhor na etapa final, o Chile apertou a marcação, começou a ditar o ritmo do jogo e chegou muito próximo de virar o marcador. Aos 19 minutos, após boa triangulação, Aránguiz apareceu livre na área e soltou uma bomba, a queima-roupa, mas Julio Cesar fez grande defesa. A resposta brasileira veio apenas aos 35 minutos. Daniel Alves lançou Neymar, que cabeceou no centro do gol, em cima do goleiro Bravo. O lance animou a torcida brasileira e fez o time comandado por Felipão esboçar uma reação. Três minutos depois, Hulk fez boa jogada e chutou forte de dentro da área, mas o goleiro salvou o Chile.

No entanto, nos minutos finais o jogo ganhou contorno dramático, com a Seleção do Chile se atirando ao ataque e o Brasil correndo o risco de levar o gol. O nervosismo da torcida brasileira somente foi amenizado após o apito final do tempo regulamentar.

Na prorrogação, o jogo seguiu tenso, e com poucas oportunidades de gol nos primeiros 15 minutos. Na melhor delas, Hulk chutou forte de fora da área e exigiu boa defesa de Bravo. Na etapa final, o Brasil, timidamente, buscou o gol da vitória, enquanto o Chile demonstrava estar satisfeito com a igualdade no placar e valorizava cada minuto a menos no cronômetro, no único lance em que se atirou ao ataque, aos 14 minutos, Pinilla fez boa jogada e soltou uma bomba do meio da rua acertando o travessão da meta defendida por Julio Cesar. A essa altura da partida, a torcida brasileira também se deu por satisfeita em ter a oportunidade de decidir a vaga nas quartas de final nos pênaltis.

Na decisão por pênaltis, Julio Cesar garantiu a vitória brasileira defendendo os pênaltis de Pinilli e Sánchez. Enquanto Jara chutou na trave e David Luiz, Marcelo e Neymar marcaram para o Brasil. Willian e Hulk desperdiçaram suas cobranças.

Com a vitória dramática sobre o Chile, o Brasil avançou para as quartas de final e aguarda o vencedor de Colômbia e Uruguai. As duas equipes decidem a vaga neste sábado, às 17 horas, no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

O confronto das quartas de finais será realizado na próxima sexta-feira, às 17 horas, em Fortaleza (CE).

Ficha técnica: Brasil (3) (0) 1 e 1 (0) (2) Chile

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Público: 57.714
Arbitragem: Howard Webb  (Inglaterra), auxiliado por Michael Mullarkey (Inglaterra) e Darren Cann (Inglaterra)

Cartões amarelos: Hulk, Luiz Gustavo e Jô (Brasil); Eugenio Mena, Silva e Pinilla (Chile)

Gols: Jara (contra), aos 18’ do 1º T (Brasil); Sánchez, aos 31’ do 1ºT (Chile)

 

Brasil

Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires) e Oscar (Willian); Hulk, Fred (Jô) e Neymar

Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

Chile

Claudio Bravo; Gonzalo Jara, Gary Medel (Rojas) e Francisco Silva; Mauricio Isla, Marcelo Díaz, Eugenio Mena, Charles Aránguiz, Arturo Vidal (Pinilla); Alexis Sánchez e Vargas (Gutierrez)

Técnico: Jorge Sampaoli