InternetData CenterAssinante

Mais de seis mil frangos morrem sufocados em Lauro Müller

Produtores atribuem mortandade das aves a falta de energia elétrica
Mais de seis mil frangos morrem sufocados em Lauro Müller
Foto: Portal Sul in Foco
Por Amanda Garcia Ludwig Em 12/11/2013 às 07:00
Produtores de frangos de Lauro Müller passaram essa segunda-feira contabilizando os prejuízos com a morte de milhares de aves, provocada, segundo eles, pela falta de energia elétrica ocorrida na manhã do último domingo. Conforme informação do Portal Sul in Foco, os produtores Roque Rinaldi e Valdemir Betti, de Rio Amaral, estimam que o prejuízo em cada lote de aves ultrapasse R$ 6 mil reais.

Segundo os dois produtores, o desligamento estaria previsto para durar no máximo 15 minutos, em dois períodos. Porém, a primeira interrupção aconteceu às 7 horas, voltando ao funcionamento 18 minutos depois. A segunda queda ocorreu às 11 horas, quando a temperatura já marcava 37° C. Foram 45 minutos de desligamento.

Para o produtor Roque Rinaldi, o tempo foi o suficiente para a morte de mais de três mil frangos, que ficaram sufocados com o calor. “Foi um dos domingos mais quentes do ano. Nossa granja não tem gerador de energia. Foi lamentável ver a cena dos animais se amontoando e pisoteando uns aos outros para procurar o melhor espaço. Estava muito quente e abafado. Todo esse tempo sem ventilação foi o que provocou a morte das aves”, relata.

Conforme os criadores, as aves estavam com 42 dias, com média de 3 kg cada. O prejuízo nas duas granjas chega a aproximadamente R$ 18 mil reais. “Temos várias despesas até a entrega dos pedidos. Para se ter uma ideia, só de ração, estes animais já haviam consumido dez mil reais” pontua Roque.

O abastecimento de energia naquela localidade é de responsabilidade da Cooperativa de Eletrificação Coopermila. O presidente da cooperativa, Alcimar De Brida, justificou ao Portal Sul in Foco que estava consciente do desligamento por parte da Celesc neste dia. Porém, está obtendo maiores informações junto a Celesc sobre o motivo para o não funcionamento da rede durante um período maior que o previsto.

De acordo com o supervisor do projeto de construção da agência da Celesc de Criciúma, Marcelo de Vila Oliveira, os desligamentos foram necessários e programados para o deslocamento de rede no local onde será construída a rótula do anel de contorno viário de Lauro Müller. “Tivemos que fazer uma manobra de chave alimentadora no bairro Arizona para que a região do Amaral não ficasse a manhã toda sem energia. Interrompemos o fornecimento às 7h04min e às 7h13min ele foi restabelecido. Depois, fizemos novamente o procedimento às 11h43min, voltando ao normal às 12h07min. Nos dois casos, trabalhamos dentro do programado. O tempo que ficou sem energia não foi o suficiente para a mortandade de frangos registrada”, explica Oliveira, acrescentando que a preocupação da Celesc foi fazer o procedimento no menor espaço de tempo, justamente para evitar prejuízos às pessoas.